Fale pelo WhatsApp:

Resumo da Palestra sobre Drogas – Ana Café

Compartilhe
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Sabemos dos riscos cada vez maiores que nossos jovens correm em um mundo onde as drogas ilícitas crescem em diversidade e oferta. Lemos todos os dias nos jornais e evidenciamos em nosso cotidiano as consequências desastrosas desta situação: mortes, destruição de famílias, amizades, carreiras profissionais, violência.

Diante disso, o Colégio Bahiense procura buscar sempre uma parceria com as famílias, os alunos e a sociedade promovendo palestras com profissionais especializados e contribuindo para a informação, reflexão e em atitudes preventivas, alertando sobre os perigos e as consequências do uso de drogas. Por esse motivo, recebemos, no dia 15 de agosto, no auditório da Unidade Américas e no dia 17 de agosto na Unidade Jacarepaguá a psicóloga clínica Ana Café, especialista e dependência química, que fez uma palestra que resumimos a seguir para os que não puderam comparecer.

“ A relação entre o consumo de drogas e a violência que nos parece tão clara precisa ser alardeada entre os jovens, para que compreendam que este consumo é responsável pela manutenção do tráfico, aliciamento de menores, compra de armamentos, compra das autoridades policiais e políticas, guerras no morro e no asfalto.

O mundo em que vivem hoje nossas crianças e jovens é muito complexo, estressante e o acesso às drogas bem mais fácil. Bebidas, cigarros e remédios estão dentro de nossas casas e difundidos pela mídia. A maconha é vista por muitos como uma droga natural e inofenciva, as festas rave oferecem drogas sintéticas livremente; o crack ganha cada vez mais espaço no mercado destruindo violenta e rapidamente seus usuários.

O que fazer diante dos apelos forjados pela sociedade que mostra as drogas de maneira tão sedutora? Ligando a televisão, olhando as revistas, navegando na internet, nos deparamos com personagens importantes da nossa cultura fumando, bebendo e fazendo apologia ao uso da maconha.

O que fazer diante das necessidades emocionais e fisiológicas do jovem em busca de sua nova identidade adulta? Da necessidade de sentir-se pertencente a um grupo a qualquer preço, de satisfazer suas curiosidades sobre seu corpo, sobre o mundo e seus segredos, diante do natural impulso de correr riscos e enfrentar desafios, diante da vontade de fugir de problemas, diminuir suas ansiedades, diante da urgência de se sentir independente, ou mesmo da sensação de prazer fácil, imediato e percepções alteradas e inspiradas oferecidas pelas drogas?
Respostas fáceis e fórmulas perfeitas, infelizmente, não existem. Sabemos porém que a informação aliada ao apoio familiar e social, podem determinar o percurso dos jovens em direção a uma vida saudável e realizada.

Os pais precisam estar informados sobre as drogas, seus diferentes nomes, como são utilizadas, que efeito causam no cérebro, no corpo e no comportamento. Os pais precisam estar informados sobre a vida de seus filhos, suas rotinas, estudos, atividades e amizades.

Os pais precisam, acima de tudo, saber que suas palavras e, principalmente, suas atitudes influenciam diretamente as escolhas dos filhos. Crianças aprendem com exemplos do dia-a-dia, com valores sobre o que é certo e errado que os pais transmitem através de suas próprias ações, de forma verdadeira e consistente.. Por isso é importante observar certas atitudes que reforçam a intimidade e a confiança na relação com os filhos.

Dê exemplos positivos em sua própria vida, preste atenção para não passar a idéia de que ser adulto é algo ruim, assim como a vida profissional e conjugal. Problemas existem, mas não devem tomar proporções negativas no imaginário de seu filho. Não minta, seja coerente em suas atitudes e em seus discursos.

Demonstre sempre interesse pela vida de seu filho, construa algum ritual diário ou semanal para que este tempo exista entre vocês, desenvolvendo juntos alguma atividade e demonstrando seu carinho e atenção. Conheça seus amigos e projetos em que estão envolvidos.

Filhos precisam assumir responsabilidades desde cedo, na medida de seu amadurecimento. Incentive tal atitude mostrando-se orgulhoso de seus bons comportamentos, tal atitude é muito importante para a construção de sua auto-estima e auto-confiança.

Em momentos de dificuldades esteja junto, ajude-o a lidar com os problemas usando seus recursos emocionais e intelectuais, analisando as consequências das situações envolvidas, pensando em valores, construindo a noção de tempo. Relembre o passado, viva o presente, imagine o futuro.

Informe-se sobre o mundo das drogas, esteja preparado tanto para discutir sobre seus riscos e as consequências como sobre os aspectos prazerosos, pois é aí que se encontra o perigo.

Demonstre seu amor com afeto e limite, nossos filhos imploram por ambos. Estabeleça regras desde a infância. ´E importante o diálogo tanto quanto uma disciplina clara, coerente e consistente. Não tenha medo de frustrar seu filho, esta é a única maneira que possui para aprender a lidar com as adversidades da vida.

Enfim… tantas são as posturas positivas e preventivas sobre o assunto. Muito importante é a consciência da sua dimensão e proximidade na vida dos jovens. Muito importante é a certeza de que, apesar de tudo, existem caminhos e saídas, conhecimentos e profissionais que podem ajudar na condução destas situações de risco. Não tenha medo de conversar sobre o tema, nem de pedir ajuda.”

Deixe seu comentário

Ana Café pela vida

Tamo Junto!