Fale pelo WhatsApp:

Irritação em excesso pode não ser rebeldia dos jovens

Durante a adolescência, é comum que os jovens tenham alterações de humor e comportamento. No entanto, quando essas mudanças tornam-se uma constante, é preciso tomar cuidado.
Compartilhe
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Durante a adolescência, é comum que os jovens tenham alterações de humor e comportamento. No entanto, quando essas mudanças tornam-se uma constante, é preciso tomar cuidado.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), 13% dos adolescentes entre 13 e 19 anos sofrem com a depressão.

Infelizmente, muitos consideram a depressão uma frescura, mas o fato é que a depressão é uma doença crônica que causa tristeza, desânimo e pode até mesmo trazer ideias suicidas. Por isso, é necessário que os pais fiquem atentos ao comportamento dos filhos.
Caso percebam que a irritação e a tristeza estão mais constantes do que o normal, procurem a ajuda de um médico.
 
Saiba quais são os sintomas mais comuns da depressão nos jovens
 
Tristeza: O adolescente parece estar o tempo todo melancólico, entediado e indisposto, podendo ter crises de choro sem algum motivo aparente.
 
Cansaço: Muitos pais acham que é preguiça, mas a depressão provoca falta de energia e perda de interesse por atividades que antes o jovem gostava.
 
Irritação: Constantes explosões de raiva, descontrole emocional e mau-humor.
 
Alteração no sono: A depressão pode causar excesso de sono ou insônia.
 
Alteração no apetite: Alguns jovens reagem comendo muito, mas o mais comum é que ocorra a falta de apetite, podendo acarretar no ganho ou perda de peso excessivos.
 
Falta de concentração: É comum que o rendimento escolar caia consideravelmente e muitos jovens sentem vontade de abandonar os estudos.
 
Uso de drogas: Para aliviar o sentimento de tristeza e ansiedade muitos acabam recorrendo ao uso de drogas e bebidas alcoólicas.
 
Comportamento de risco: Em situações extremas, o adolescente pode começar a praticar atividades consideradas de risco, como sexo sem proteção, esportes radicais sem os cuidados necessários, e podem até mesmo se cortar ou queimar com o intuito de se machucarem mesmo.
 

A família tem um papel de extrema importância no diagnóstico e tratamento da depressão, pois apenas com uma boa estrutura os efeitos da depressão poderão ser atenuados. O tratamento da doença irá variar de acordo com a causa, podendo incluir terapia de família e uso de medicamentos.

(Fonte: site Qualidade em Saúde)

Deixe seu comentário

Ana Café pela vida

Tamo Junto!