Fale pelo WhatsApp:

Brasil é o 3º país em consumo de álcool por adolescentes no mundo

Compartilhe
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Pesquisa aponta que quase metade dos jovens entrevistados assumem ter experimentado bebida alcoólica pela primeira vez em casa

destaque5
O alcoolismo na juventude tem preocupado entidades e órgãos de saúde brasileiros. Recente estudo publicado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) revelou que o país ocupa o terceiro lugar no ranking mundial em consumo de álcool entre os adolescentes. Quase metade dos jovens entrevistados relata ter experimentado o álcool pela primeira vez em casa.

Especialistas alertam que quanto mais cedo se iniciar o consumo de bebidas alcoólicas, maior a possibilidade dos jovens se tornarem dependente. Outra recente pesquisa aponta que 70% dos brasileiros consumiram bebidas nos últimos 30 dias.

Para o jovem Eduardo Cavalcante, 19 anos, o incentivo por parte dos pais e tios para o consumo de álcool sempre foi muito presente. Porém, ele diz evitar a bebida. “Nunca consegui beber um gole de cerveja ou qualquer outra bebida. Meu pai é o maior incentivador, já me ofereceu, mas nunca quis o acompanhar bebendo nas mesas das festas de família”, relata o adolescente.

Eduardo Cavalcante faz parte de uma minoria apontada pela pesquisa, que revelou que o primeiro gole costuma ser precoce ainda na adolescência e em casa, como afirma a OMS.

Especialistas responsáveis pelo estudo afirmam que é importante que os pais se imponham, ao informar sobre os possíveis efeitos da bebida alcóolica, mas que não devem se impor de forma agressiva, mas orientar os filhos e criar um canal aberto para conversa.

Para o psiquiatra Ralph Trajano, que atua no Centro de Atenção Psicossocial Álcool e Drogas (Caps AD), no bairro Macaúba, zona Sul de Teresina, a problemática do consumo excessivo e de dependência do álcool em adolescentes, parte inicialmente do descumprimento da lei que restringe a venda do produto a maiores de 18 anos.

O especialista aponta outro agravante: “No Brasil, temos os carnavais que são regados e patrocinados pelo álcool, fica quase que impossível que as pessoas não criem e aprendam hábito de beber. A sociedade precisa deixar de ser hipócrita e parar de querer segregar e tratar as pessoas como doentes, se ela mesma é a causadora disso”, explica o especialista que também é presidente da Associação Piauiense de Psiquiatria.

Deixe seu comentário

Ana Café pela vida

Tamo Junto!