Fale pelo WhatsApp:

Avaliação Neuropsicológica

cerebro
A avaliação neuropsicológica é um exame complementar, composto por uma bateria de testes e é extremamente útil para um diagnóstico e melhor procedimento terapêutico . Complementa a avaliação do neurologista, do psiquiatra e do psicólogo. Ela tem como objetivo central identificar e avaliar a gravidade de alterações cognitivas, proporcionando uma análise qualitativa e quantitativa das conseqüências desses déficits no funcionamento diário do indivíduo.

Principais objetos da análise são as funções cognitivas:

  • Memória verbal e visual (aquisição, retenção e evocação);
  • Atenção;
  • Expressão e compreensão da linguagem;
  • Fluência verbal fonética e semântica;
  • Abstração;
  • Planejamento;
  • Habilidades visuo-perceptivas e visuo-construtivass;
  • Praxia;
  • Gnosia.

Os prejuízos destas funções são os principais correlatos de alterações cerebrais e através da avaliação neuropsicológica temos condições de mensurá-las.

Através da avaliação neuropsicológica podemos estabelecer e contribuir para um diagnóstico clínico, e traçar o perfil cognitivo nos casos em que já exista um diagnóstico determinado.

Algumas indicações da Avaliação Neuropsicológica:

  • Avaliação e diagnóstico de Doença de Alzheimer;
  • Avaliação e diagnóstico diferencial das Demências;
  • Avaliação de déficit cognitivo associado a idade (Comprometimento Cognitivo Leve);
  • Avaliação de alterações cognitivas nos quadros de AVC, TCE, neuro-infecções e tumores cerebrais;
  • Distúrbios cognitivos associados ao uso e abuso de álcool e/ou outras drogas;
  • Alterações de cognição nos Transtornos de Humor (ex: Depressão) e nos Transtornos de Ansiedade (ex: Transtorno Obsessivo-Compulsivo);
  • TDAH (transtorno de déficit de atenção/hiperatividade);
  • Transtornos de Aprendizado e Leitura;
  • Esquizofrenia;
  • Retardo Mental;
  • Distúrbios cognitivos associados a doenças da tireóide;
  • Outros.

Vale ressaltar que todas as informações e achados só podem ser entendidos dentro de um contexto individual de cada paciente, no qual considera-se a idade do paciente, os anos que ele estudou e sua história de vida.